domingo, 16 de setembro de 2012

15 de Setembro de 2012: A Mudança de Paradigma Político?


O dia 15 de setembro de 2012 foi marcante. Não foi a primeira vez que estive numa manifestação, e muito provavelmente não será a última. No entanto, nunca tinha participado numa assim. Foi quase surreal ver, no mesmo espaço, e movidas por sentimentos semelhantes, tantas pessoas diferentes, de estratos sociais, idades, e orientações cívicas/políticas/ideológicas. Para uma cidade pouco dada a movimentações  e manifestações sociais desta natureza, foi um momento para recordar a marcha pela Avenida Heróis de Angola!

Independentemente da contestação em causa – o reclamar pela austeridade continuada e cega que contribuirá para um decrescimento muito acentuado da qualidade de vida generalizada em Portugal - e independentemente do urgência e drama social nacional - que não é obviamente de diminuir -, dia 15 de setembro os portugueses demonstraram a si mesmos que são uma força viva, e que se conseguem mobilizar por causas abrangentes. Provavelmente, de futuro, a sociedade irá mudar no modo como encara a cidadania ativa e a política no seu sentido mais puro, como um ato colético de autogoverno social. Provavelmente este foi um reflexo evidente de que o paradigma político está a mudar, que o sistema de representação político tem de ser ajustado aos novos tempos e que os cidadãos irão querer participar mais politicamente. Eu pelo menos espero que isso seja verdade e aconteça de facto, para nosso bem (coletivo)!
Quando 10% da população sai propositadamente à rua o mínimo a que nos obrigamos é à reflexão!

video


2 comentários:

  1. Concordo plenamente com a necessidade de mudança desta representação política que nada representa. Pois neste momento estamos num beco sem saída, ou seja estamos reféns de 3 partidos que apenas arruinam o País. leia-se PSD, CDS e PS. Infelizmente, e citando Ricardo Araújo Pereira, é que quem queira votar na mudança não tem nenhum partido em quem possa votar. Vivemos reféns de intrigas palacianas (vaja-se o golpe do Portas), e de uma quase Imbecilidade de um Líder da oposição que diz que não seguia o caminho da austeriade, mas que não consegue concretizar nada, e ficamos a saber que as ideias que tem são mais ou menos as do Coelho antes de ser Eleito, ou seja falar genericamente e falar muito sem dizer nada. Temos que romper. Enquanto marchava pensava precisamente que este será uma daquelas janelas de oportunidade para se avançar com a extinção dos Partidos Políticos e de passarmos a eleger representantes (pessoas) para a assembleia da republica e que nos Governem efectivamente.

    ResponderEliminar
  2. A extinção dos partidos políticos parece-me desadequada. Simplesmente os partidos precisam de ser reinventados nas formas e modos de funcionamento, pois as ideias e ideologias continuam e continuarão a fazer sentido.

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails

Redundâncias da Actualidade - criado em Novembro de 2009 por Micael Sousa





TOP WOOK - EBOOKS

Novidades WOOK - Ciências

TOP WOOK - Economia, Contabilidade e Gestão

Novidades WOOK - Engenharia

Novidades WOOK - Guias e Roteiros